50 anos do homem na Lua: Teoria da conspiração ou realidade?

alunissagem 50 anos do homem na lua

Há 50 anos, milhões de pessoas acompanharam pela televisão os passos que mudariam completamente o futuro da humanidade. No dia 16 de julho de 1969, o astronauta Neil Armstrong se tornou o primeiro homem a pisar na Lua.

No entanto, esse tema ainda é duvidoso para milhões de brasileiros. Em uma pesquisa realizada pela Datafolha, um a cada quatro brasileiros duvidam da ida do homem na lua.

Então, a pergunta que nos resta a fazer é: será que o homem realmente desbravou o espaço e conseguiu chegar na Lua? Ou isso foi apenas uma história arquitetada pelos Estados Unidos para vencer a Guerra Fria contra a União Soviética?

Nesse episódio da coluna Vida Digital, nós tratamos de um dos acontecimentos mais importantes e polêmicos da história da humanidade, a ida do homem na Lua. Saiba de antemão que esse evento não afetou apenas a área da física ou dos conhecimentos espaciais que temos hoje em dia, mas também o dia a dia de todos nós.

Portanto, se você adora ficar por dentro de todas as novidades do mundo digital, saiba que estou todas as terças-feiras na CBN Cotidiano de João Pessoa tratando sobre temas como empreendedorismo, marketing, futurismo, tendências e muito mais.

Conto com a sua presença!

Nesse artigo, iremos tratar sobre:

  • Contexto: Por que a ida até a Lua era tão importante para os EUA?
  • Como o homem chegou na Lua?
  • “Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”
  • Os impactos do da chegada do homem na Lua
  • O futuro da exploração espacial

Confira!

Contexto: Por que a ida do homem na Lua foi tão importante para os EUA?

Como você deve saber, logo após da Segunda Guerra Mundial, a Guerra Fria se iniciou e impactou novamente o mundo todo. Porém, dessa vez a disputa era entre os capitalistas e os comunistas, mais especificamente Estados Unidos x União Soviética.

Essa briga se tratava da política econômica que dominaria grande parte do mundo. Portanto, era importante que os dois lados investissem em tecnologia, armas e propagandas para provar para todos qual era a nação mais próspera e o modelo econômico mais eficaz.

Por esse motivo, a Corrida Espacial era extremamente importante para as duas nações. Inicialmente, os soviéticos tiveram um tremendo sucesso com o lançamento do primeiro satélite artificial do planeta, o Sputnik, em 1957.

Além disso, essa também foi a primeira vez que os seres humanos lançaram um objeto e o colocaram e órbita.

De fato, o satélite funcionava. No entanto, as baterias logo acabaram após 22 dias de lançamento. Na verdade, ele não era tão importante assim, afinal, só transmitia sinais de rádio amador.

Ainda assim, é importante lembrar que grande parte dos feitos realizados na Guerra Fria foram justamente para provar a eficiência dos países, como seria a futura missão tripulada à Lua.

Por isso, os Estados Unidos também aprimoraram as suas tecnologias espaciais e, no ano seguinte, lançaram o próprio satélite, nomeado de Explorer I. Em pouco tempo, foi fundada a NASA (National Aeronautics and Space Administration).

No entanto, todo o mundo voltou as atenções para a União Soviética quando, em 1961, enviou o soviético Yuri Gagarin, o primeiro homem a orbitar a Terra, na nave espacial Vostok 1.

A chegada do homem na Lua

Após enviar o primeiro homem estadunidense ao espaço, em rebate à ida do soviético Yuri Gagarin ao espaço, o foco dos Estados Unidos mudou. Em 1961, o presidente John F. Kennedy anunciou o Projeto Apollo para levar o primeiro homem à Lua.

A Apollo 11 consistia em uma nave com mais de 45 toneladas, dividida em três módulos: a área de comando, de serviço e lunar. Para ter sucesso na missão, ela foi lançada no bico do maior e mais potente foguete espacial construído até hoje, o Saturno V.

O objetivo do lançamento era que o Saturno V, que pesava mais de 3 mil toneladas, queimasse combustível rápido o bastante para impulsionar a espaçonave Apollo 11 a uma velocidade de 40 mil quilômetros por hora.

Uma curiosidade é que a nave que levou os homens à lua tinha apenas 4,5 metros quadrados e, por incrível que pareça, não possuía nenhum banheiro! Sem dúvidas, foi algo que dificultou bastante a higiene pessoal dos astronautas.

No entanto, a decolagem só ocorreu no dia 16 de julho de 1969, ás 13h32 no horário de Cabo Canaveral, nos Estados Unidos. Para se ter ideia da potência da máquina, os ruídos do lançamento puderam ser sentidos em um raio de 6Km do local. Além disso, matou inúmeros pássaros que voavam nas proximidades.

Doze minutos depois, a nave já está fora da órbita da Terra.

Vale lembrar também que a missão continha 3 astronautas. Enquanto Armstrong e Aldrin alunissavam, Michael Collins ficou na órbita da Lua dando suporte aos companheiros.

Porém, o pouso foi muito m0ais difícil do que a aterrissagem. Faltando apenas 30 segundos para que o combustível terminasse, Neil Armstrong e Buzz Aldrin conseguirem alunissar.

“Um pequeno passo para o homem. Um passo gigantesco para a Humanidade”

Como líder da equipe, Neil Armstrong foi o primeiro homem a pisar na Lua, pronunciando assim a sua frase mais famosa:

Um pequeno passo para o homem. Um passo gigantesco para a Humanidade.”

Dez minutos após, Aldrin se juntou ao colega e, juntos, fincaram a bandeira da nação americana na Lua.

Em seguida, recolheram pedras e pó da Lua, instalaram sismógrafos, refletores de raios laser e, o mais importante, uma antena de comunicação e um painel para estudar os ventos solares, além de uma câmera de TV.

Também deixaram na Lua o distintivo de missão e, em homenagem, as medalhas dos falecidos cosmonautas soviéticos Yuri Gagarin e Vladmir Komarov.

A chegada do homem na lua foi transmitida pelas redes televisivas do mundo todo. É estimado que mais de 500 milhões acompanharam a chegada do homem à lua.

Os impactos da chegada do homem na Lua

Embora tenha sido um evento importantíssimo para os seres humanos, foram as consequências da chegada do homem na lua que mudaram completamente o mundo que conhecemos hoje em dia.

A partir disso, tecnologias como GPS, computadores portáteis e até mesmo aparelhos sem fios e papinhas de bebê se tornaram possíveis.

No entanto, na época que toda a mágica aconteceu, os equipamentos desenvolvidos e utilizados pelos conquistadores espaciais eram bem rústicos. Para se ter ideia, o computador do Apollo 11 possuía apenas 2KB de memória RAM.

O mais interessante de tudo é como os programas espaciais produziram como resultados colaterais uma série de benefícios para o dia a dia de nós, meros mortais.

Hoje em dia, é bastante difícil entrar nas lojas de computador e encontrar um que possua menos de 2GB de memória RAM. Que diferença, não?

Além disso, podemos citar como tecnologias desenvolvidas em decorrência da corrida espacial as fraldas, o velcro, códigos de barra, aparelhos sem fio, monitores cardíacos, lentes de contato, termômetro digital, purificadores de água, alimentos liofilizados, dessalinizador, calçados esportivos e até mesmo o teflon que utilizamos para não deixar os ovos grudarem na panela.

Este último, por exemplo, serviu para proteger os alimentos desidratados que eram servidos aos astronautas no foguete.

Fora isso, também gerou grandes impactos no setor espacial, entre eles:

  1. Foguetes

Ainda hoje, o Saturno V é considerado um dos melhores foguetes já construído, se não o melhor. Isso, pois do momento em que foi criado até os dias atuais, os engenheiros aprimoraram cada vez mais o equipamento conforme as evoluções tecnológicas. Essas melhorias serviram, principalmente, para estudos que possibilitaram a criação de novos foguetes mais eficientes e com custos menores.

Durante a decolagem do Saturno V, por exemplo, o foguete queimava quase 3 mil toneladas de combustível a cada 13 segundos. Convertendo aos valores atuais, foram gastos mais de US$ 1 bilhão.

Hoje em dia, já é possível produzir aeronaves que custam menos de US$ 90 milhões.

  1. Satélites

A viagem à Lua possibilitou que os satélites fossem bastante aprimorados. Enquanto naquela época enviar um satélite era uma missão extremamente complexa, hoje em dia já existem mais de 5 mil satélites que orbitam a Terra.

Segundo a União dos Cientistas, os satélites são responsáveis por cerca de 40% das comunicações, sendo 36% deles usados para manter a segurança no planeta.

  1. Miniaturas

Como você deve imaginar, é importantíssimo manter os equipamentos dos astronautas o mais compacto possível para diminuir a quantidade de recursos que são utilizados para tirar o foguete da atmosfera.

Segundo Jean Creighton, embaixadora da astronomia aerotransportadora da Nasa e diretora da Universidade de Wisconsin-Milwaukee Manfred Olson, podemos comparar a diferença de peso dos foguetes atuais com os utilizados na missão Apollo 11 “ entre uma baleia jubarte e um tatu”.

Isso, pois a indústria foi estimulada a criar computadores cada vez menores e mais eficientes, afetando principalmente as áreas de comunicação e transporte.

Leia também: Drones miniaturizados: Você já foi picado por um?

  1. Políticas para o planeta

Com a alocação de diversos satélites em órbita na Terra, está cada vez mais simples a identificação de recursos naturais, como petróleo. Além disso, os serviços de manejo florestal na economia de recursos naturais e na retardação de incêndios florestais estão cada vez mais práticos.

Não podemos deixar de citar, é claro, a facilidade de identificação do desenvolvimento urbano e, em casos mais específicos, o acompanhamento do derretimento de geleiras e nível do mar.

O futuro da exploração espacial

Embora não pareça, estamos em uma nova era da corrida espacial. Enquanto na década de 60 o objetivo era pisar na Lua, hoje me dia todas as nações possuem apenas um foco: visitar e colonizar Marte.

É importante lembrar que, diferente de antes, os avanços espaciais não chegam apenas através das mãos dos governos. Hoje em dia, existem diversas startups e empresas focadas em desbravar outros mundos.

Os chineses, por exemplo, possuem diversos projetos para incentivar startups e empresas privadas a desenvolverem recursos para essa nova era da corrida espacial. Ainda em 2019, eles foram a terceira nação a pousar uma sonda na Lua. A máquina batizada de Chang’e 4 alunissou no lado oculto da estrela, local onde nenhum outro ser humano tinha chegado.

Ao contrário do que é mostrado nos filmes da franquia Transformers, o lado oculto da lua não possui nenhum robô alienígena, muito menos máquinas ou colônias.

Além disso, a Agência Espacial Europeia (ESA) fechou parcerias enormes com empresas para o desenvolvimento de projetos que visam a minerar e explorar os recursos do solo lunar. As estimativas do projeto são para até o ano de 2025.

Que tal uma viagem espacial?

Nos Estados Unidos, uma das maiores potências espaciais do mundo, a Nasa também já anunciou que pretende abrir a Estação Espacial Internacional para os turistas, ainda em 2020.

Em parceria com a startup Astrobotic, a NASA pretende fazer voos comerciais para a Lua. Sendo assim, quem quiser enviar produtos ou objetos para a Lua, algo que só era possível para os astronautas, poderá fazê-lo através da agência.

Falando dos americanos, uma das maiores promessas para a exploração de outros planetas é a SpaceX, uma das maiores do ramo. O bilionário e CEO da empresa, Ellon Musk, também conhecido como Tony Stark da vida real, possui planos de colonizar Marte, criando assim uma cidade autossutentável no planeta.

Além disso, a SpaceX pretende tornar viagens entre o planeta vermelho e a Terra cada vez mais viáveis, principalmente para que grandes quantidades de passageiros sejam enviadas de uma vez.

Ainda nesse ano, em parceria com a Agência Espacial Americana, a empresa privada SpaceX cumpriu uma missão de testes, comprovando que é possível enviar passageiros.

O princípio dessa ideia é criar uma nave capaz de realizar inúmeras viagens de ida e vinda, sendo abastecida no espaço.

Em 2019, a empresa conseguiu enviar sua primeira carga comercial para o espaço através do foguete Falcon Heavy, atualmente o mais potente do mundo.

Até 2023, a SpaceX planeja uma viagem tripulada à Lua. Foi anunciado também que o primeiro viajante confirmado será Yusaku Maezawa, um bilionário empresário japonês.

E aí, o que você acha da ida do homem na Lua? Ela realmente aconteceu ou isso tudo é apenas mais uma teoria da consipiração? Não se esqueça de compartilhar nas suas redes sociais e, se sobrou alguma dúvida, escreva nos comentários que será um prazer responder você.

#VamosEmFrente!

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.