Tim Berners-Lee mudou o nosso mundo com o WWW

Tim Berners-Lee e os 30 anos de www como a internet mudou o mundo

Embora a internet tenha surgido na década de 1960, durante a Guerra Fria, ela só se tornou acessível a todos quando o engenheiro físico de apenas 33 anos, Tim Berners-Lee, no dia 12 de março de 1989, apresentou um protocolo que mudou completamente a forma como essa tecnologia era utilizada. Nascia assim a World Wide Web, ou para os mais íntimos, WWW.

Durante o surgimento da internet, tenho certeza que pouquíssimas pessoas possuíam a noção do quão feroz poderiam ser as mudanças que ela causaria, principalmente na comunicação e no comportamento das pessoas como um todo.

Para você ter ideia, enquanto o rádio demorou quase 40 anos e a televisão 13 anos para atingir o público de 50 milhões de usuários, para a internet bastaram apenas 4 anos.

Hoje em dia, esse número já beira os 4 bilhões de pessoas no mundo inteiro, de acordo com a União Internacional de Telecomunicações (UIT).

Somente no Brasil, 70% da população possui acesso frequente a essa tecnologia.

Nesse episódio da coluna Vida Digital, nós falamos sobre como surgiu o WWW e como essa tecnologia mudou completamente a forma como lidamos com a internet. Afinal, é por causa disso que podemos acessar a web com tanta facilidade e disponibilidade.

Além disso, também acredito que é importante avaliar quais podem ser os futuros impactos de novas tecnologias nesse meio.

Portanto, iremos tratar sobre:

  • Como surgiu o WWW?
  • A importância de Tim Berners-Lee
  • A guerra de navegadores
  • Os primeiros sistemas da WWW
  • A influência da internet no seu dia a dia
  • O futuro da internet

Confira!

O que é WWW e como surgiu?

Com certeza você já ouviu aquela história de que a internet foi desenvolvida durante os conflitos mascarados da Guerra Fria. Porém, quando todo esse sistema surgiu, sequer se chamava internet. Na verdade, a tecnologia foi nomeada de ARPANET.

Se você acompanha nossos artigos de empreendedorismo sabe que, para qualquer criação, precisa existir uma demanda (ou você mesmo pode cria-la).

No caso da internet, a demanda era a segurança das informações norte americanas caso o conflito da Guerra Fria estourasse e gerasse uma guerra armada.

Portanto, os governos entendiam que as tecnologias e os meios de comunicação desenvolvidos seriam as principais ferramentas para dominar o cenário econômico e político da época.

Dessa forma, a ARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançados), órgão americano responsável por desenvolver projetos espaciais, criou a ARPANET, uma rede que ligava computadores com informações sigilosas do governo estadunidense.

O sistema de informações funcionava de maneira semelhante à que conhecemos hoje em dia, através de IP’s ou Protocolos. Eles são como um endereço que aponta para onde enviar informações.

Porém, tudo mudou com a criação de uma nova forma de enxergar a ARPANET, o WWW.

World Wide Web, também conhecido como WWW, é uma espécie de sistema de documentos dispostos na Internet que facilitam o acesso dos usuários às informações no formato de um hipertexto.

Para conseguir processar esses dados, é preciso usar programas de computador próprios para a leitura dos dados, os navegadores. Entre os mais comuns, podemos citar: Google Chrome, Safari e Mozilla Firefox.

Quem foi Tim Berners-Lee?

Essa ideia surgiu em 1980, pelo britânico Tim Berners-Lee, na Suíça. Inicialmente, Berners-Lee tinha como ideia a formação de uma enorme base de dados em hipertexto com links digitáveis, que seria chamada de Mesh. Dessa forma, ele ajudaria seus colegas do CERN (maior laboratório de física nuclear do mundo, localizado na Suíça) na hora de compartilhar informações entre computadores utilizando o WWW.

Além disso, a construção de servidores independentes era uma forma de garantir a liberdade de circulação de dados. Isso, pois naquela época tudo era controlado pelas bases militares, afinal, esse foi o motivo da criação dessas máquinas e sua principal função até o momento.

Assim, caso ocorresse algum ataque ou operação que rompesse a comunicação com a base militar, a rede de computadores poderia ser afetada.

Utilizando um computador NeXTcube, o engenheiro desenvolveu através da linguagem de programação HTML, uma espécie de protocolo, a WorldWideWeb.app, o primeiro navegador do mundo.

No entanto, foi apenas em 6 de agosto de 1991 que Tim contou sobre suas ideias resumidamente em um grupo de notícias chamado alt.hypertext. Portanto, essa foi a data considerada como a estreia oficial da World Wide Web, o WWW como um serviço postado na Internet.

Outra criação que o engenheiro britânico propôs foi o hiperlink nas páginas, permitindo que os usuários seguissem outros documentos ou até mesmo enviassem informações para outros servidores.

Após esses acontecimentos, a internet cresceu de uma forma jamais vista em qualquer outra tecnologia. Hoje em dia, a quantidade de dados e informações que possuímos no universo online é muito mais do que poderíamos aprender durante uma vida toda.

Como consequência, também existe uma facilidade imensa de se perder com tanta informação a deriva.

Tim Berners-Lee e a guerra de navegadores

O conceito foi lançado por Tim Berners-Lee e agora era necessário criar sistemas que pudessem usufrir desta tecnologia. Só após alguns anos após a criação do WWW, em 1993, Marc Andreessen e Rob McCool inventaram o primeiro navegador livre, o Mosaic.

Durante os dois anos seguintes, essa ferramenta foi a principal forma de explorar a Internet sem que fosse necessário estar dentro de universidades ou centros de pesquisa.

O objetivo dos criadores do Mosaic era justamente apresentar uma forma para as pessoas de acessar a Internet de forma prática. Por isso, no ano de 1995, foi criada a Netscape, o primeiro navegador comercial da internet.

No entanto, esse avanço chamou a atenção da Microsoft, que desenvolveu o Internet Explorer usando como base os códigos do Mosaic.

Em pouco tempo, o navegador se tornou um consenso entre os usuários, deixando para trás toda a concorrência e assumindo a liderança no mercado.

Após o sucesso do Internet Explorer, um novo navegador surgiu na batalha: o Mozilla Firefox. Seu lançamento oficial ocorreu em 2004 e gerou mais de 25 milhões de downloads nos primeiros 99 dias de mercado.

A partir daí, surgiram diversos outros navegadores, como Ópera, Safari e Chrome, tornando o recurso de múltiplas abas uma nova lei no desenvolvimento dessas ferramentas.

A evolução da internet até os dias atuais

A criação do HTTPS, ainda nos anos 90, foi um dos primeiros marcos da internet que conhecemos nos dias atuais.

As invenções de Tim Berners-Lee foram as principais responsáveis pela internet que conhecemos hoje em dia.

A partir daí, todo o mundo voltou sua atenção para a “grande explosão” da internet. Pessoas começaram a comprar os seus próprios computadores e o acesso discado à grande rede foi se tornando cada vez mais comum.

Vale lembrar também que grandes portais que conhecemos também foram criados nessa época, como Yahoo, serviços de e-mail gratuitos como o Hotmail, bate papos com mensagens instantâneas e até mesmo sites de buscas como o Google.

Após a virada do milênio e a chegada do século XXI, os computadores foram se tornando cada vez mais fáceis de serem adquiridos. Isso, pois ao contrário das enormes máquinas que eram construídas antigamente, os modelos mais novos foram sendo adaptados para o mercado consumidor.

Assim, o que era internet discada sofreu diversos avanços tecnológicos e passou a ser utilizada a banda larga e as conexões de celular por meio da rede 3G (hoje em dia, já utilizamos a 4G e, em breve, a 5G).

Dessa forma, a internet se tornou uma necessidade para as pessoas do mundo todo, tanto para uso empresarial, quanto para uso doméstico.

Passamos pela era do Orkut e do MySpace, gigantes redes sociais da época, para aterrissar de cabeça no Twitter, Facebook e o mais recente, Instagram.

Portanto, poucos ainda se lembram do ICQ e MSN, que foram substituídos por serviços como Skype, Discord e Whatsapp, tornando as, mensagens instantâneas, ligações e chamadas de vídeo ainda mais acessíveis e práticas.

Quem nasceu no século XX e pôde acompanhar a evolução da internet e dos computadores durante a linha do tempo, com certeza não imaginava a dimensão que estaríamos vivendo hoje em dia como consequência da disseminação dessa tecnologia.

A pitada de Tim Berners-Lee no seu dia a dia

Sem dúvidas, grande parte da nossa comunicação com outras pessoas se dá em meio ao ambiente virtual. São tantas ferramentas, como Twitter, Facebook e Whatsapp, que muitas vezes esquecemos que existe uma vida social fora das redes.

A nova geração da internet é a base do que estamos passando por hoje. Sempre estamos conectados a algo ou alguém, independentemente da cultura.

Assim, a internet deixou de ser aquele ambiente onde toda a informação já vinha pronta por meio de um portal de notícias e passou a ser um meio em que todos podem divulgar conteúdos e contar a sua versão da história.

Para falar a verdade, essa é uma das marcas mais intensas da tecnologia.

A possibilidade de desenvolver blogs e micro-blogs contribuiu bastante para esse avanço, afinal, os novos usuários não precisam entender como aquilo foi desenvolvido, ele apenas o utiliza.

Dessa forma, ferramentas como o Twitter e o Facebook, assim como o falecido Orkut, facilitaram e ainda facilitam bastante a comunicação entre pessoas que você conhece e irá conhecer.

Além disso, a dinâmica dos compartilhamentos acelera bastante a forma como a notícia corre entre as pessoas.

Tudo o que você faz e coloca nas redes sociais, outras pessoas compartilham ou comentam. Notícias, vídeos no Youtube, escândalos e fofocas são os compartilhamentos favoritos do público presente nas redes sociais.

Consequentemente, essa disseminação de conteúdo influencia e padroniza a forma como você se veste, se comporta e até mesmo nas palavras que você utiliza.

Com tanta informação útil e fútil é impossível que você afirme que a sua vida não depende da internet.

Web 4.0: O que esperar da próxima era da internet?

Enquanto a alguns anos atrás nos limitávamos a poucas páginas estáticas na internet, hoje em dia já é possível acessar qualquer conteúdo instantaneamente.

Para falar a verdade, a evolução da internet não mostra qualquer sinal de desaceleração. Portanto, o que esperar da Web 4.0? Obviamente Tim Berners-Lee não havia imaginado, 30 anos atrás, que teríamos essa velocidade de evolução nas comunicações.

Alguns acreditam que o futuro dos computadores está na qualidade de processadores e HD’s desenvolvidos, acredito que tudo gira em torno da forma como a internet se supera.

Como já falamos em uma das colunas do Vida Digital, o armazenamento em nuvens, ou “cloud computing” está cada vez mais comum.

Isso quer dizer que, em pouco tempo, tecnologias como discos rígidos e cartões SD, assim como pen drives e outras mídias, tendem a ser completamente substituídos.

Que possibilidades teremos?

Afinal, o armazenamento estocado na nuvem é muito mais eficiente e barato para os usuários.

Antes de dar continuidade, quero lembrar que qualquer estudo que tente prever as mudanças sociais ou comportamentais está sujeito a errar. Para falar a verdade, é muito mais fácil adivinhar o que aconteceu do que o que irá acontecer.

Porém, de acordo com as tendências atuais, podemos sim imaginar como será a Web 4.0. Como essa tecnologia é um reflexo das necessidades do mercado consumidor, é bem possível que as próximas etapas da internet forneçam ainda mais interação para os usuários.

Além disso, outra tendência que promete ser decisiva para a evolução, não apenas da internet, mas também da tecnologia como um todo é a inteligência artificial.

Juntando as duas coisas, criamos a possibilidade de interações constantes entre humanos e máquinas.

Isso é o que chamamos de “Internet das Coisas”, ou seja, tecnologias independentes do envolvimento humano.

Outra consequência disso será o uso cada vez mais frequente de assistentes virtuais. Isso poderá afetar desde os locais em que você faz compra até a rota que você escolhe para buscar o seu filho na escola.

Além disso, um resultado que essa interação pode provocar é o domínio dos serviços delivery no mercado.

E aí, o que você achou da evolução tecnológica que passamos desde os 30 anos de existência da World Wide Web e a importância do invento de Tim Berners-Lee? Não se esqueça de compartilhar nas suas redes sociais e, se sobrou alguma dúvida, escreva nos comentários que será um prazer responder você.

#VamosEmFrente!

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.