Blockchain: O milagre do mundo digital

blockchain o que é como funciona

A compra e venda de bitcoin é um dos assuntos mais falados atualmente, afinal, está sendo o início da riqueza de muitas pessoas que investem nesse mercado. No entanto, tudo isso só é possível por causa da tecnologia por traz da moeda, o Blockchain.

A revolução 4.0 está cada vez mais presente no nosso dia a dia. O blockchain, por exemplo, é apenas um dos inúmeros reflexos dessas mudanças que estão acontecendo. Em pouco tempo, todas as áreas conhecidas serão afetadas por essa avalanche de informações, se já não foram.

Algumas pessoas chamam essa tecnologia de inovadora e afirmam com toda certeza que ela irá mudar completamente o mundo digital daqui para frente. Bem, eu sou uma dessas pessoas.

Porém, você sabe o porque ela é tão revolucionária? Se a resposta for não, fique tranquilo, pois fiz esse artigo exatamente para você.

Nesse episódio da coluna Vida Digital, nós tratamos de tudo que você precisa saber sobre o blockchain. Assim, você irá descobrir o que ele de fato faz, como funciona e, principalmente, como irá impactar no nosso dia a dia muito em breve.

Para falar a verdade, não existe nada de mágico ou misterioso por trás do Blockchain, ainda que as pessoas pensem isso por causa do seu nome forte e “complexo”. No entanto, provavelmente você ouvirá falar desse nome com frequência nos próximos anos, principalmente na área da segurança.

Nesse artigo, iremos tratar sobre o que de fato é o blockchain, abordando:

  • O que é blockchain e como ele surgiu?
  • As vantagens do blockchain
  • Como funciona o blockchain e por que é tão seguro?
  • Qual o impacto do blockchain no mercado financeiro?
  • Blockchain: possibilidades para o futuro além dos Bitcoins
  • Obstáculos para o blockchain

Confira!

O que de fato é Blockchain?

Eu sei, o nome não é muito convidativo para entender, afinal, passa a impressão de ser uma tecnologia de outro mundo. Resumidamente, podemos dizer que o Blockchain é uma espécie de registro público, um livro razão que anota as transações de uma moeda virtual, promovendo eficiência e transparência nas operações financeiras.

Portanto, ele marca informações importantes para o comércio, como a quantidade de moedas trocadas, a pessoa que enviou e a que recebeu, a data da transação e até mesmo o lugar do livro razão que ela foi registrada.

Sendo assim, ele funciona como uma rede de blocos encadeados com uma criptografia extremamente avançada. Daí o nome blockchain, que significa “cadeia de blocos”.

Além disso, sempre carrega um conteúdo junto a uma impressão digital, dificultado a falsificação do item que está sendo protegido.

Toda essa informação é armazenada em blocos, marcando cada bloco como uma etapa da transação. De tempo em tempo, algo em torno de 10 minutos, é desenvolvido um novo bloco de trocas, que se liga ao anterior.

O que são hashs?

No caso do bitcoin, esse conteúdo armazenado é uma transação financeira. Sendo assim, a grande sacada é que o próximo bloco a ser analisado irá conter uma impressão digital do anterior, o que é chamado de hash. Ao juntar os dois conteúdos, o segundo bloco forma um terceiro e gera a sua própria impressão digital. Sendo assim, o conteúdo do bloco é formado por: informação + hash do bloco anterior + hash do novo bloco.

Assim, nenhum bloco pode ser modificado sem que toda a rede permita essa alteração.

Simples, não? Agora pense nessa situação se repetindo milhares de vezes por inúmeros servidores em diferentes lugares do mundo! Prontinho, isso é o que chamamos de blockchain.

Essa rede de blockchain é formada por mineradores que registram todas as transações no bloco. No entanto, para isso é necessário que essas pessoas emprestem para a rede um alto poder computacional.

Como forma de incentivo para que essas pessoas contribuam para tornar a rede segura e sustentável, os mineradores recebem recompensas em moeda digital.

Enfim, o blockchain é um livro razão público separado entre diversas máquinas que registram as transações que a moeda digital sofre em uma cadeia de blocos. O melhor de tudo? Qualquer pessoa pode participar disso!

Como surgiu o blockchain?

Seu primeiro conceito surgiu em 2008, no artigo acadêmico Bitcoin: um sistema financeiro eletrônico peer-to-peer, publicado pelo pseudônimo Satoshi Nakamoto.

Criado e desenvolvido em meio a um cenário de crise econômica no mundo inteiro, o principal objetivo do bitcoin era aumentar a confiança durante as transações financeiras, projetando-as na internet em um ambiente mais seguro do que os bancos tradicionais.

Embora no ambiente digital todos os dados podem ser copiados, trocados e alterados, o blockchain foi criado justamente para resolver esses problemas. A partir da tecnologia, uma pessoa não pode fraudar a moeda, como por exemplo, gastar 1 BTC mais de uma vez ou transferir números alterados.

Como funciona o blockchain e por que é tão seguro?

Ao contrário dos servidores de segurança que encontramos em grandes empresas, as informações que são armazenadas em um sistema de blockchain fica espalhada em milhares de computadores pelo mundo.

Cada uma dessas máquinas possui uma cópia integral do banco de dados, tornando as informações contidas nele totalmente seguras. Assim, podemos dizer que a tecnologia de blockchain é uma rede peer to peer, ou seja, não possui intermediários.

Dessa forma, ninguém tem a autoridade para ir em um computador central e roubar alguns registros ou modificá-los, afinal, cada minerador de blockchain possui essas informações. No entanto, se alguém tentar burlar o sistema de algum dos computadores, logo é expulso pela rede.

Além disso, as máquinas frequentemente auditam todas as informações na rede e buscam formas para eliminar fraudes e erros.

Em resumo, o blockchain funciona em 4 etapas:

  1. Registro da transação

Os registros das transações são armazenados em blocos de maneira descentralizada e bastante distribuída. Além disso, ninguém tem acesso às pessoas que estão envolvidas nas transações, afinal, todos esses dados são sigilosos.

  1. Tornando a transação anônima

As transações são realizadas anonimamente através de chaves privadas. Na verdade, é indicado que, para cada transação, seja utilizado um endereço diferente composto por números, letras e outros caracteres.

Assim, é possível preservar a real identidade dos usuários e manter as transações de maneira totalmente anônima.

  1. Oficializando a transação

Para que a transação seja validada e aceita pela rede, é preciso incluí-la no sistema.

Assim, o minerador de blockchain fornece um potente sistema que verifica as informações a cada 10 minutos. Logo, se tudo estiver correto, a máquina fornece um código criptografado e oficializa a transação.

  1. Tornando a transação imutável

Através do hash, cada bloco da cadeia possui uma sequência que é transmitida para outros blocos. Portanto, se algo for modificado na transação, isso irá gerar outro hash.

Caso isso aconteça, a operação não será validada.

Portanto, as transações no blockchain são totalmente imutáveis, o que torna impossível alterar dados ou fraudar transações.

As vantagens do blockchain

Todas os dados inseridos no blockchain possuem uma complexa criptografia e exigem uma assinatura digital. Sendo assim, a segurança das transações se torna uma das melhores do mundo, garantindo total integridade e proteção contra ameaças.

Além disso, podemos citar como as principais vantagens do blockchain:

Eliminação de troca por intermediário e falta de confiança

As transações de bitcoins, por exemplo, são totalmente livres de intermediações graças ao sistema de blockchain.

Dessa forma, é possível que duas partes façam uma troca sem precisar da supervisão ou intermediação de terceiros, o que acaba reduzindo significativamente ou até mesmo eliminando qualquer risco de contraparte.

Dessa forma, o próprio usuários possui controle de todas as informações e transações.

Transparência, contratos inteligentes e imutáveis

Todas as mudanças no blockchain são visíveis para todas as partes envolvidas no processo, o que fornece transparência e confiança aos envolvidos. Portanto, as transações são sempre verificadas pelos participantes, o que deixa quase nulo a chance de fraude.

Além disso, é impossível desfazer uma transação, ou seja, elas não podem ser alteradas ou deletadas durante o processo, o que torna o sistema imutável.

Privacidade

A privacidade dos usuários é uma das maiores vantagens do blockchain, afinal, ninguém quer seus dados divulgados nas redes de transações.

Assim, embora as informações da transação sejam públicas e transparentes, é possível esconder partes sensíveis, como dados pessoais, sem prejudicar a verificação do bloco.

Qual o impacto do blockchain no mercado financeiro?

O Blockchain nasceu para revolucionar as transações financeiras que ocorrem no mundo interio.

Por ser uma rede tão segura e de alta qualidade, as transações realizadas através do blockchain estão ganhando cada vez mais espaço no mercado financeiro, afinal, são rápidas, seguras e transparentes.

Em uma pesquisa feita pela Infosys Finacle, foi revelado que mais de 80% dos profissionais que atuam na área financeira pretendem trabalhar utilizado o sistema de blockchain até o ano de 2020.

Além disso, cerca de 50% das organizações que os entrevistados fazem parte já estão investindo nesse novo método ou planejam investir.

Dessa forma, o estudo também revelou que o investimento médio nos projetos que agregam essa tecnologia deve ser algo em torno de 1 milhão de dólares por ano.

No entanto, por se tratar de uma operação que segue o modelo peer-to-peer, onde toda a transação dispensa mediadores ou a necessidade de um servidor central, as operações possuem uma redução significativa de custos.

Portanto, o sistema não precisa impor limites de valores durante as transações, afinal, todo o processo ocorre de maneira quase instantânea. Assim, diversas dificuldades que uma pessoa pode encontrar ao fazer uma transação bancária, como restrições ou impostos, não existem com o blockchain.

Por esse motivo, as transações internacionais são as preferidas pelos usuários que utilizam o sistema.

Leia também: Libra: Entenda como funcionará a nova criptomoeda do Facebook

Blockchain: possibilidades para o futuro além dos Bitcoins

É importante dizer que o sistema de blockchain não é aplicável para qualquer situação ou negócio. No entanto, a tecnologia é perfeita para empresas que necessitam de registros de informações de maneira confiável e transparente.

Portanto, o blockchain poderia cair como uma luva para uma companhia que pretende vender ingressos infraudáveis, registrar terras, identidades e até mesmo na formação de contratos e autenticação de documentos.

Você pode achar que isso é algo que irá acontecer apenas daqui a algumas décadas ou que é apenas uma teoria maluca de um sistema infalível. Porém, já existem lugares que utilizam diariamente o blockchain para tornar sistemas mais seguros.

Em Dubai, por exemplo, todas as terras são registradas através do blockchain. Além disso, também existe uma plataforma chamada Civic, onde você pode registrar documentos e identidades utilizando esse sistema.

A OriginalMy, uma empresa brasileira, também permite que o usuário faça a autenticação e registro de documentos, semelhante a um cartório online, utilizando a tecnolgia de blockchain.

Já na plataforma da Ethereum, é possível criar contratos inteligentes entre duas partes, sem precisar de uma terceira parte para intermediar o processo.

Crowndfunding também terá suas vantagens

Até mesmo a área de crowdfunding o blockchain pode beneficiar com a criação de fundos de capital de risco de origem coletiva. Em 2016, o DAO (Descentralized Autonomus Organization) arrecadou mais de US $ 200 milhões em pouco mais de dois meses.

A proposta era que os participantes comprassem “tokens DAO”, o que permita com que votassem em investimentos inteligentes de capital de risco. Embora o projeto não tenha tido sucesso total, a iniciativa abriu os olhos de muitas pessoas para o desenvolvimento de cooperações econômicas através do blockchain.

Na área da saúde, uma excelente contribuição do blockchain seria na integração e compartilhamento entre redes de prontuários médicos eletrônicos de maneira que garanta total privacidade aos pacientes.

Empresas como Philips, IBM, Gem Health e até mesmo Google estão ativamente explorando maneiras para a utilização dessa tecnologia na área da saúde.

Portanto, é apenas uma questão de tempo para que essa tecnologia esteja presente diretamente no nosso dia a dia, seja nos sistemas de saúde ou econômicos.

Te convidarmos a estar conosco na construção de conteúdos de qualidade. Participe, envie seus comentários (mesmo que sejam negativos!) para nos ajudar a sempre melhorar. Sua contribuição é muito importante.

Também estamos produzindo muito conteúdo nas redes sociais. Você poderá nos encontrar no Youtube, LinkedIN, Facebook e Instagram. Em cada ambiente, temos um comportamento adaptado para a rede social.

Juntos somos muito mais fortes!

Um forte abraço e #VamosEmFrente!

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.